top of page
Buscar
  • Foto do escritorVestibulando

Traços feministas na figura de Aurélia Camargo do romance romântico Senhora, de José de Alencar.



O patriarcalismo figura-se como meio de submissão ao envolvimento das mulheres na tentativa de busca pelos seus direitos no Brasil do século XIX .( Hahner,1981, p.24). Ao passo que as mudanças históricas expõem a situação de submissão das mulheres, cria-se uma inquietação, e até mesmo rebeldia do público feminino sobre os perfis criados e reproduzidos na sociedade machista do século XXI. A reflexão acerca do comportamento com traços feministas da personagem Aurélia Camargo, trazem para discussão uma transgressão dos pensamentos patriarcal e machista adotados como forma de submissão da figura feminina.


A importância de se entender o feminismo

Para se compreender o comportamento transgressor do perfil feminino no período vigente do Romantismo na personagem Aurélia Camargo, precisa-se refletir sobre os preceitos feministas . O Feminismo é :

um movimento social por direitos civis, protagonizado por mulheres, que desde sua origem reivindica a igualdade política, jurídica e social entre homens e mulheres. Sua atuação não é sexista, isto é, não busca impor algum tipo de superioridade feminina, mas a igualdade entre os sexos.
( extraído do site Mundo Educação)

Ao passo que Aurélia faz um contrato de casamento com Fernando Seixas, tornando-o uma aquisição, afinal a moça torna-se rica ao receber uma herança, nota-se que a personagem vivencia uma atitude que não condiz com padrão de idealização feminina preconizado pela prosa romântica. Há uma desconstrução da mulher como mera figurante, a personagem demonstra traços que podem ser associados ao feminismo. Isso deve-se ao roteiro inovador de José de Alencar, que por meio dos romances urbanos, principalmente , traz no perfil feminino a mulher com desejos e atitudes totalmente adversos dos criados na poesia romântica :

Como objeto representativo do seu poder de aquisição Aurélia paga por sua suposta felicidade: o casamento com Fernando Seixas. No entanto, esse casamento não se consuma mantendo-se virgem mesmo depois da assinatura deste “contrato”. Seixas mesmo no auge da sua humilhação deixa-se envolver pelo fascínio da mulher que tenta resistir até o final.
Com tudo isso, pode-se observar que Aurélia além de ser uma mulher forte, dominadora, bonita e inteligente é também decidida e segura nas suas atitudes, o que nos dá o perfil de uma mulher especial.( Aguiar ; Costa, 2010 )

A Literatura e a figura feminina

O romance romântico urbano Senhora, de José de Alencar aponta traços marcantes da prosa romântica como o sentimentalismo e recriação de uma literatura que primasse em sua essência, por elementos que representassem o cotidiano, as aspirações e vivências da vida burguesa. Referindo-se à obra supracitada, percebe-se que mesmo com os sentimentos idealizados presentes no contexto romântico, Aurélia Camargo adota uma postura empoderada e revolucionária diante da aquisição de Fernando Seixas, haja vista que no passado Aurélia tinha sido rejeitada. E essa rejeição , aliada ao dinheiro serviu como caminho para a moça traçar um plano de vingança para Seixas. O moço, por ser muito interesseiro, não hesitou em casar ,aceitando a proposta de Aurélia.

Apesar de muito nova, Aurélia Camargo possuía uma firmeza e altivez que ressaltavam sua beleza não só física , mas principalmente sua posição enquanto figura feminina que sente desejos e ambições tal qual os homens possuíam:

Tornou-se a deusa dos bailes; a musa dos poetas e o ídolo dos noivos em disponibilidade.
Era rica e formosa.
[...]
Tinha dezoito anos quando apareceu a primeira vez na sociedade
[...]
Aurélia era órfã tinha em companhia uma velha parenta, viúva, D.Firmina Mascarenhas, que sempre a acompanhava na sociedade...[Aurélia] tinha o firme propósito de governar a sua casa e dirigir suas ações como entendesse....com sagacidade admirável em sua idade.
Aurélia era uma moça espirituosa. (ALENCAR, 2006, p. 18-19)

O ciclo romântico é marcado pelo exagero e idealização, isso é primordial para se entender a escola literária como um todo. Só que ao fazer essa reflexão sócio -literária sobre Aurélia Camargo, seus anseios e vontades diante de uma sociedade totalmente patriarcal, percebe-se que ainda em 2020 a postura adotada por Aurélia é amplamente criticada com as mulheres contemporâneas. A cultura machista julga e puni severamente mulheres que expressam atitudes que historicamente eram tidas como inerentes para os homens. No enredo de Alencar, Aurélia se rende ao amor no desfecho da obra, sentimento rejeitado no passado, e Seixas também se declara à ela. Situação completamente adequada, quando se analisa uma prosa romântica, mas voltando-se a realidade, Aurélias do cotidiano sofrem represálias e julgamentos por irem em busca de seus desejos e vontades.

Do século XIX até o século XXI, muito se foi conquistado com o feminismo, mas infelizmente mulheres precisam galgar a cada dia seu espaço e liberdade para serem respeitadas. Do patriarcalismo ao machismo ainda vivencia-se uma busca de direitos muito fortes pelas mulheres. Que o feminismo seja fortificado cada vez mais por lutas de conquistas de espaços como foi a de Aurélia na literatura brasileira romântica.


Abaixo, você pode conferir o filme, de 1976, baseado no livro:



O livro também está disponível em vários sites:



Sobre a Autora:

Professora Adryanne Santos Lobato

É formada em Letras com habilitação em Língua Portuguesa pela UFPA.

Especialista em Educação, Pobreza e Desigualdade Social pela UFPA.

Professora de Literatura do Sistema de Ensino Vestibulando.

926 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page